Museu Paranaense promove oficina gratuita de gravura
07/04/2022 - 14:20

O Programa Público do MUPA não para de surpreender e desta vez oferece oficina gratuita de carimbos e estampas inspirados nas plantas. A atividade acontece neste domingo (10) e será conduzida pelos jovens artistas Luiz Lira e Ramon Santos, integrantes do grupo Xiloceasa, um coletivo fundado em 2005 que realiza produções de xilogravura, tipografia manual e muralismo.
 
“Flora - Oficina livre de carimbos” é destinada para adultos e crianças a partir de oito anos e funcionará como um ateliê aberto. Desta maneira, os participantes poderão realizar suas composições durante o período que quiserem, respeitando a capacidade do local. Trata-se de um convite para que o público possa experimentar a criação de gravuras e estampas de forma individual ou coletiva, a partir de um conjunto de matrizes de xilogravura produzidas previamente pelos oficineiros tendo como base imagética a forma das flores, plantas e árvores. 

O processo da xilogravura acontece com a abertura de sulcos na superfície da madeira, deixando-a com baixos e altos relevos para que posteriormente a mesma seja entintada e, com auxílio de uma colher de pau, o desenho produzido seja transferido para o papel por meio de fricção. 

A agenda do Programa Público “Se enfiasse os pés na terra: relações entre humanos e plantas” segue com atividades e ações gratuitas até o mês de maio de 2022 e busca refletir, através de diferentes perspectivas culturais, artísticas e científicas, os vínculos entre pessoas e plantas.

Sobre os artistas que conduzirão a oficina
 
Luiz Lira nasceu em São Paulo (SP), onde atualmente reside e trabalha. Iniciou seu contato com o campo das artes através de uma ONG - Instituto Acaia - logo aos oito anos de idade. Dentre tantos fazeres, Luiz apegou-se ao desenho e à xilogravura. Seus trabalhos exploram as linhas e massas das quais o corpo pode ser construído. É graduando em artes visuais pela UNICAMP, formado em Computação gráfica pelo Instituto Criar de TV e novas mídias. 

Ramon Santos nasceu e cresceu na periferia de São Paulo (SP). Filho de nordestinos, desenha desde pequeno e teve seu primeiro contato com a xilogravura aos oito anos de idade. Ramon utiliza a gravura para passar uma visão poética do que vê, imagens que mostram felicidade ou tristeza, coisas do cotidiano, e também imagens geradas em seus pensamentos. Desde 2008 participa do coletivo Xiloceasa, grupo de artistas que atua nas dependências do Instituto Acaia, onde fazem xilogravuras e ilustrações de livros e participam de feiras de arte impressa. 

O coletivo

Xiloceasa é um grupo formado por 14 artistas, sendo a grande maioria filhos de nordestinos, moradores de comunidades em São Paulo e que encontraram na madeira sua forma máxima de expressão. O grupo estuda e trabalha há quatorze anos nos ateliês do Instituto Acaia, atuando como arte-educadores e formadores, e desenvolvem ações educativas com crianças e jovens em diversos contextos de aprendizagem. As xilogravuras produzidas pelo coletivo geralmente representam a relação dos artistas com a capital paulista, com a paisagem urbana e suas memórias vividas, e levantam questões sobre gênero, negritude e ancestralidade.

Serviço - "Flora - Oficina livre de carimbos" 
Com Luiz Lira e Ramon Santos 

Domingo, dia 10 de abril, das 10h às 12h e das 14h às 16h
Local: Museu Paranaense (MUPA) - Rua Kellers, 289, São Francisco, Curitiba.

Para participar do evento não é necessário inscrever-se previamente. A liberação dos lugares será realizada por ordem de chegada e não há um período pré-determinado de duração.