Fundada há 165 anos, Biblioteca Pública do Paraná atrai novos públicos com mais de 30 projetos de cultura, acessibilidade e incentivo à leitura
29/06/2022 - 13:24

A partir de 2019, a Biblioteca Pública do Paraná (BPP) passou a apostar na diversificação de suas ações e parcerias em busca da ampliação do perfil de seu público frequentador. Além de ser a sede do maior e mais atualizado acervo do estado (com mais de 730 mil itens, entre livros, documentos, periódicos e materiais multimídia), a instituição fundada há 165 anos tem como atrativo os mais de 30 projetos culturais, de acessibilidade e incentivo à leitura que desenvolve nas áreas de literatura, teatro, audiovisual, música e artes gráficas. De cursos a sessões de cinema — passando por concursos literários, publicações próprias, exposições, debates e uma intensa programação voltada para crianças —, essas iniciativas movimentam o prédio histórico da BPP, no centro de Curitiba, e são irradiadas para outras cidades paranaenses.

O grande volume de eventos e programas sistemáticos é acompanhado de uma pluralidade temática. Nos últimos três anos e meio, a Biblioteca Pública expressou uma preocupação em atingir diferentes audiências, e para isso propôs o diálogo com os mais diversos grupos e instituições — como coletivos de mulheres, centros de cultura negra e associações de pessoas com deficiência, além de ONGs, universidades, museus, escolas e qualquer autor que deseje lançar seu livro na BPP. O resultado dessas estratégias se reflete no número de pessoas que circulam diariamente pelos espaços da Biblioteca: cerca de 2 mil, que emprestam uma média 13,5 mil livros por mês, segundo um levantamento realizado antes da pandemia.

“Nossa intensa programação, as múltiplas atividades que temos realizado e o constante aperfeiçoamento dos nossos serviços fazem com que a Biblioteca se reencontre com a sua essência. Desde que foi fundada, ela foi um lugar democrático, de formação, leitura, encontro, movimento e pensamento. É um espaço muito especial de atração, acolhimento e irradiação da cultura e da arte”, afirma o diretor da BPP, Luiz Felipe Leprevost.

Fechamento e reabertura
O período também foi marcado por uma presença cada vez maior da Biblioteca Pública do Paraná na internet, seja por meio de suas redes sociais, de publicações online (como o jornal literário Cândido, com 10 anos de circulação ininterrupta) e do Prêmio Biblioteca Digital (concurso literário nacional que neste ano chega à terceira edição). Impossibilitada de emprestar livros durante a fase mais aguda da pandemia, a instituição manteve o contato com os usuários a partir de ações como a adaptação de projetos culturais já existentes para o sistema remoto, a digitalização de todo o acervo do Selo Biblioteca Paraná (seu braço editorial), a oferta de oficinas literárias à distância e o desenvolvimento de novos conteúdos virtuais voltados para adultos e crianças.

Até a Festa Literária da Biblioteca Pública (Flibi) — maratona cultural com duração de uma semana — ganhou uma versão no YouTube em 2020, com mais de 20 convidados. Nomes como Eliane Brum, Ignácio de Loyola Brandão, Xico Sá, Paulo Scott, Ferréz e Mel Duarte participaram do evento, que também contou com atrações para o público infantil.

Apenas no site da BPP, foi registrada uma atração de 89% de novos usuários desde o início da pandemia. O número de acessos também cresceu: de 2,5 mil em março de 2020 para cerca de 20 mil no mesmo mês do ano seguinte.

A reabertura do prédio aconteceu de forma gradual e responsável, com respeito a todos os protocolos sanitários. O processo começou em agosto de 2021, com o retorno dos empréstimos e pesquisas, e terminou em janeiro deste ano, quando foi liberada a circulação do público por todos os espaços de convivência (incluindo as salas de leitura, gibiteca, auditório, mesas de jogos e Seção Braille). A instituição também retomou a programação cultural presencial, com destaque para a semana de comemorações de seu aniversário de 165 anos — realizada em março e que contou com oficinas, palestras, exposições, sessões de cinema, apresentações artísticas e atividades para crianças.

Crianças e acessibilidade
Um dos principais focos dos projetos culturais da BPP é a formação de jovens leitores. Para isso, a Seção Infantil da instituição promove uma série de ações de incentivo à leitura, muitas delas em parceria com escolas, pedagogos e escritores da literatura infantojuvenil. O rol de iniciativas inclui desde atividades diárias (a exemplo das sessões de contação de histórias e oficinas de trabalhos manuais) até eventos sazonais, como Piquenique Literário (realizado em praças e parques da cidade) e Uma Noite na Biblioteca (acantonamento para a faixa etária dos 7 aos 10 anos).

Referência na área de acessibilidade, a Seção Braille da Biblioteca Pública do Paraná possui um dos maiores acervos do país, com mais de 30 mil títulos, entre livros, audiolivros, e-books, revistas, boletins e folhetos em versão adaptada. O setor ainda oferece palestras e cursos de capacitação, além de realizar a audiodescrição de filmes e exposições.

Em 2019, o espaço do Braille foi totalmente reformulado para facilitar a circulação dos usuários, que realizam uma média mensal de 130 empréstimos. No ano seguinte, a seção recebeu quatro aparelhos OrCam MyEye — dispositivo acoplado a um óculos que fotografa textos, escaneia e os transforma em áudio. O Paraná ainda é um dos poucos estados brasileiros a proporcionar ao público esta solução inovadora, que também permite a leitura e a identificação de pessoas pelos rostos, entre outras funcionalidades. 

Descentralização
A Biblioteca Pública do Paraná ainda administra o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Paraná, que atualmente é composto por 482 unidades em todas as regiões do estado. Além de prestar diversos tipos de assessoramento para as bibliotecas dos municípios, A BPP repassa, mensalmente, via correio, kits com livros e outros materiais não utilizados pela instituição ou recebidos como contrapartida social de projetos de lei de incentivo.

Em 2022, o sistema retomou o projeto Encontro Regional de Bibliotecas Públicas do Paraná, realizado em diferentes regiões do estado e interrompido durante a fase do lockdown. Durante três dias de programação, a equipe da BPP e representantes de bibliotecas municipais participam de debates e atividades de formação. Campo Mourão foi a primeira região a receber o evento, que até o final deste ano ainda acontece em Cascavel (no próximo mês de julho), Jacarezinho (agosto) e Ponta Grossa (novembro).

GALERIA DE IMAGENS